Professor X Aluno

Olá pessoal! hoje irei falar um pouco a respeito do relacionamento entre o professor e o aluno.

Historicamente falando, outrora ( e até os dias de hoje ainda existe), a ideia de que o professor é o detentor do saber e que somente ele possui a razão e o aluno tem o dever de ficar calado e aceitando tudo o que é dito e ensinado.

No decorrer dos anos, foram revistas as didáticas, formas de ensinar e principalmente a forma de como ver o sujeito epistêmico, ou seja, o sujeito do aprendizado, o que expressa a capacidade de construir o conhecimento de acordo com o meio em que vive.

Atualmente, com um olhar construtivista (ensino baseado na construção do conhecimento e não na memorização de conteúdos), olhamos o aluno como um sujeito que carrega consigo conhecimentos que são importantes e que devem ser levados em consideração.



O professor que usa o método de ensino construtivista, tem a ciência de que ouvir o aluno é um fator fundamental para a maior eficácia no ensino aprendizagem.

Quando ouvimos o aluno e consideramos seus conhecimentos, abrimos espaço para a maior compreensão dos conteúdos específicos a serem aplicados em sala de aula.

Essa mediação entre o conhecimento prévio do aluno, permite ao professor usar este conhecimento para introduzir o conhecimento específico baseado em algo que o educando já conhece.

As aulas baseadas em dúvidas de alunos e curiosidades, fazem com que eles tenham maior interesse em aprender, pesquisar e realizar atividades propostas em sala de aula.

Aulas em que o conteúdo é baseado na realidade de vida dos alunos, faz com que os mesmos sejam capazes de assimilar com maior precisão e compreender o que está lhe sendo apresentado em sala de aula.

A barreira que os professores muitas vezes colocam entre eles e os alunos devem ser quebrada. Muitos professores dizem que não podem abrir espaço para os alunos por que desta forma o respeito acaba.

Essa visão é errônea. Um aluno que vê que o professor o considera e se interessa por suas ideias, ganha seu respeito, afinal, nós devemos ser o exemplo.

Muitas vezes a bagunça e a indisciplina é a forma de clamar por atenção. Será que tornar a aula mais dinâmica e interessante não seria um fator tiro e queda para uma aula bem mais participativa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *