Resumo do Livro: Professores reflexivos em uma escola reflexiva

          O livro “Professores Reflexivos Em Uma Escola Reflexiva” escrito por Isabel Alarcão, trata em seu primeiro capítulo sobre o acesso à informação e como é importante propiciar a igualdade de oportunidades para o acesso. Além de possibilitar o acesso à informação, é necessário despertar no sujeito a criticidade para que o mesmo seja capaz de filtrar a gama de informações que recebe por meio dos diversos meios de comunicação.

A autora enfatiza que é importante que o sujeito possua a competência de questionar-se perante as informações que recebe e cabe a escola intervir no desenvolvimento da criticidade que permite que o aluno seja capaz de saber reconhecer as informações.



A informação tem sido hoje em dia um objeto acessível, mas é necessária uma organização desta busca que deve levar em consideração alguns requisitos: saber procurar e onde procurar.

A autonomia na busca de conhecimento é um fator que ocorre com a ajuda do professor que exerce o papel de mediador do conhecimento. O professor deve conduzir os alunos a gerir e a saber como relacionar as informações fazendo com que elas se transformem em conhecimento.

Para que as informações se relacionem entre si, transformando-se em conhecimento, é necessário que o professor repense a respeito de sua prática escolar e saiba reconhecer o seu papel na escola, levando em consideração os conhecimentos dos alunos e suas curiosidades como o primeiro passo para alimentar o desejo pela busca da informação e aquisição de um novo conhecimento.

No segundo capítulo a autora aborda a questão do professor crítico dentro da escola e quais os possíveis motivos pelas quais a proposta dentro da escola muitas vezes não ocorre. Uns dos requisitos para que o professor se torne um educador reflexivo é ter em mente que todo ser humano é dotado de criatividade e, portanto, não é um ser que simplesmente reproduz ideias prontas que lhe são oferecidas.

É necessário inserir o sujeito em um contexto que permita a ele o desenvolvimento de sua criatividade inata. Neste momento entra o papel do professor como mediador que estimula o aluno para que ele seja um ser crítico, pensante e que tenha autonomia.

Por meio da mediação do professor, o aluno mantém seu interesse em relação aos temas propostos trazidos por eles mesmos; lembrando que a autora deixa claro que o aluno é um ser que detém conhecimentos e que o professor deve acolher os interesses dos educandos. Desta forma ocorre o questionamento que gera a aquisição dos conhecimentos que resultam no aprendizado dos alunos.

No terceiro capítulo a autora aborda sobre a importância da gestão exercendo o seu papel na construção reflexiva do professor frente ao conhecimento e sua atuação como profissional. A autora lista alguns conceitos de supervisão que são importantes na atuação do professor, são eles:

  • Conhecimento Profissional dos Professores;
  • Conhecimento Científico-Pedagógico;
  • Conhecimento do Conteúdo Disciplinar;
  • Conhecimento Pedagógico em Geral;
  • Conhecimento do Currículo;
  • Conhecimento do Aluno e das suas Características;
  • Conhecimento dos Contextos;
  • Conhecimentos dos Fins Educativos;
  • Conhecimento de Si Mesmo e
  • Conhecimento da Sua Filiação Profissional.

A gestão deve se preocupar em acompanhar o exercício dos professores pois, a supervisão pedagógica além de ser incumbida de fazer acompanhamento de professores no exercício da profissão, também é responsável em empenhar o papel como equipe formativa em que propiciam condições de desenvolvimento profissional e aprendizagem aos professores pois, tanto a gestor quanto a gestão são formativos, portanto, o supervisor ajuda a construir o conhecimento pedagógico.

Outro fator que a autora aborda, refere-se à importância da interação dos alunos e o diálogo na ajuda da resolução de problemas e nas decisões tomadas pois, o diálogo permite que as ações tomadas garantam que todas as medidas tomadas sejam bem-sucedidas pois levando em consideração a realidade dos alunos e as opiniões dos mesmos, qualquer decisão é mais bem-sucedida no ambiente escolar.

Para finalizar, no quarto e último capítulo a autora fala sobre como formar o profissional (professor). Segundo a autora é necessário que a escola trabalhe de forma conjunta, ou seja, que todos sejam integrantes do meio escolar e que os alunos e a comunidade, façam parte da tomada de decisão. Um gestor reflexivo tem em mente que a escola é um espaço de construção do conhecimento e desenvolvimento e, portanto, deve permitir a interação dos alunos e comunidade na construção de uma escola reflexiva.

O Projeto Político Pedagógico é criado a partir da realidade de vida dos alunos, incluindo a comunidade e toda a escola em sua construção. Desta forma a escola consegue elaborar um PPP que atenda às necessidades dos alunos e que promova da melhor forma possível a garantia de uma gestão equilibrada; uma prática docente significativa e o aprendizado dos alunos.

A escola reflexiva tem como base o objetivo de cumprir sua missão: “A construção do Saber”, e esta construção se dá por meio da interação entre todos os participantes do meio escolar, possibilitando que a escola cria situações que proporcionem situações desafiadoras que prepare o sujeito para o seu desenvolvimento integral.

REFERÊNCIA

ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2003.