Resumo crítico do texto: A construção do projeto pedagógico na escola de 1° grau por Selma Garrido Pimenta

A autora aborda sobre a questão da democratização do ensino não apenas como o simples fato de abrir as portas ás todas as pessoas, a democratização do ensino vai muito além. A concepção de democratização veio a tona no período da Revolução Industrial, Revolução Francesa e o Capitalismo.

A autora enfatiza que embora as escolas tenham aberto as portas à todos que queiram estudar com o intuito de democratizar a Educação como o direito de todos, a escola encontra-se submetida aos interesses sociais, ou seja, ela oferece uma educação que continua dividindo classes sociais e formando sujeitos para a mão-de-obra.

A democratização verdadeira é aquela em que oferece ao sujeito não somente a oportunidade de estudar, mas também acesso à sua permanência.



Para a autora uma escola para todos, trata-se de assegurar a permanência e acabar com a dualidade no ensino, ou seja, possibilitar uma educação embasada na realidade social sem camuflar o verdadeiro estado em que se encontra a sociedade e permitir que a educação seja algo empírico e reflexivo, condicionando o sujeito ao desenvolvimento do verdadeiro conhecimento como ferramenta de socialização, compreensão e dominação permitindo ao sujeito emancipar-se.

A educação democratizada deve desenvolver nos alunos a capacidade de reflexão possibilitando que o sujeito compreenda a sociedade, seus mecanismos e a realidade dos sistemas dominantes.

Com a educação verdadeiramente democrática, o sujeito seria preparado para intervir nas desigualdades geradas pelos interesses das camadas mais desenvolvidas, deixando de ser pessoas alienadas.

Segundo a autora, outro fator importante para a democratização da educação é a mudança na atuação dos pedagogos como profissionais.

O pedagogo deve ter sua visão voltada à realidade escolar, estabelecendo princípios, organização e garantia da qualidade no ensino. É de suma importância o empenho pedagógico na preparação de diversos como:

  • Turnos e horários adequados;
  • Reuniões;
  • Disciplinas;
  • Rendimento escolar;
  • Organização escolar e
  • Construção do projeto político pedagógico.

A organização da escola é competência tanto dos profissionais da educação quanto dos que não são docentes. Partir a decisão envolvendo à todos; docentes e não docentes, permiti que a escola crie um projeto que supra a realidade e garanta uma educação de qualidade.

REFERÊNCIAS:

PIMENTA, Selma Garrido. A Construção do Projeto Pedagógico na Escola de 1o . Grau. In: Série Idéias nº8. São Paulo: FDE/ Governo do Estado de São Paulo, 1992.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *