Movimento intencional e movimento reflexo

O movimento intencional: é o movimento que depende de nossa vontade. Veja alguns exemplos de movimento intencional:

– andar;

– pegar algum objeto;

– levantar-se e sentar-se.

Enfim, todo movimento em que antes de ser executado é pensado mentalmente; é um movimento intencional.



Movimento reflexo

O movimento reflexo: é independente de aprendizagem e servem para proteção do seres humanos. No caso dos movimentos inatos ( que nascem com o ser humano) servem para a sobrevivência dos neonatos ( recém nascidos).

Alguns reflexos inatos somem com o passar do tempo, veja a seguir alguns deles:

Reflexo de moro: Quando o bebê se sente sem equilíbrio ou se assusta, ele automaticamente joga a cabeça para trás, estica as pernas e abre os braços. Por volta do seu segundo mês de vida, este reflexo desaparece.

Marcha reflexa: Quando o bebê  é colocado de pé, e segurado com apoio nas axilas, ele levanta a perna dando a impressão de estar andando. Este reflexo é um dos primeiros a sumir; ele desaparece até o final do primeiro mês de vida do bebê.

Busca pelo seio: Sempre que alguém toca a região perto da boca do bebê, ele vira o rosto para o lado em que sente o toque. Ao encostar em algo abre a boca, e quer sugar, tudo que vier pela frente. Até o segundo mês, este reflexo se torna em um ato intencional.

Preensão palmar: O bebê pega a mão da mãe e aperta com força. Este reflexo desaparece aproximadamente até o terceiro mês. No caso dos pés, sempre que alguém aperta a sola, ele encolhe os dedinhos. Isso some por volta do fim do oitavo mês.

Tônico-cervical: É quando o bebê está deitado e o doutor vira a cabeça do bebê para um dos lados; e o lado que o doutor vira, o bebê estica o braço e dobra o outro. Este reflexo desaparece por volta do terceiro mês.

Existem outros reflexos que sempre farão parte de nossa vida como por exemplo:

– Susto: quando a pessoa se assusta ele faz movimentos desordenados como pular, saltar, se encolher e etc…

– Piscar: quando a pessoa pinga colírio ela pisca; ou se cair algum cisco no olho também pisca.

A certos reflexos que sempre iram existir para nos proteger de certos danos que possa nos ocorrer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *