Como a criança enxerga a matemática

Durante a Infância, no estágio em que a criança se encontra na educação infantil e nos anos iniciais; quando se depara com os números e quantidades, elas não sabem reconhece-las de forma abstrata. Nesse período, a criança atribui a quantidade de forma empírica, ou seja, ela reconhece quantidade de acordo com o que seus olhos veem.

As provas piagetianas são uma ótima ferramenta para avaliar o estágio em que as crianças se encontram, proporcionando reconhecer se a criança possui algum tipo de falta de conformidade entre seu desempenho e a idade que possui. Permite avaliar a situação do andamento cognitivo do sujeito, investigando o nível de compreensão que ela possui e se existe algum contratempo em relação a aquisição do conhecimento.



Por meio das provas piagetianas, podemos saber se a criança está no período sensório-motor (0 a 2 anos), pré-operatório (2 a 7 anos), operações concretas (7 a 12 anos) até enfim às operações formais (12 anos em diante).

Sendo aplicado as provas, torna-se ciente o nível de compreensão que a criança possui e assim iremos trabalhar e aplicar atividades que estimulem o desenvolvimento de seu raciocínio lógico permitindo a sua inserção na compreensão de quantidade abstrata.

Com crianças pequenas, torna-se necessário promover que elas pensem e vejam de forma empírica, (experiências vivenciadas) as quantidades, para que dessa forma, na prática, sejam capazes de compreender e a partir disso evoluir seu estágio e compreender situações mais complexas.

A matemática exige raciocínio, e desta forma é necessário promover desde a infância o ato de refletir e analisar situações de acordo com o estágio em que a criança se encontra.