Resumo do livro: Avaliação Mediadora: Uma Relação Dialógica na Construção do Conhecimento

No livro de Hoffmann , a autora enfatiza a questão da avaliação como um instrumento de mediação em relação ao conhecimento do aluno e a prática do docente em sala de aula. A autora salienta que muitos professores, muitas vezes de forma inconsciente reproduzem práticas avaliativas classificatórias sem atentar-se ao verdadeiro significado da avaliação na escola.

Segundo Hoffmann o professor que outrora foi aluno, foi submetido a um regime de avaliações em que se buscavam resultados classificatórios e por conta disso, os professores acabam reproduzindo em sua prática docente a forma como eram avaliados, e com os mesmos objetivos.

Mutos professores acreditam que a falta de aprendizado do aluno é por culpa de sua falta de interesse e atenção. Para os professores mudar a prática seria quase impossível levando em consideração o tempo em que ficam com as turmas. Acreditam que mudar a proposta também demandaria muito mais tempo para atender aos alunos.



Diversos professores têm em mente que a avaliação classificatória é competitiva, cria o bom profissional e que alterar esse paradigma de avaliação, só seria coerente se o sistema o fizesse primeiro. Deve-se ter em mente que a avaliação é uma ferramenta que avalia tanto o que o aluno aprendeu quanto a prática docente.

A avaliação só se torna mediadora quando o professor acompanha os alunos em seu desenvolvimento. Acompanhar se trata de ajudar o aluno a ultrapassar seus desafios e adquirir novos conhecimentos. A importância da avaliação está no fato de descobrir o que os alunos aprenderam e o que é necessário retomar em sala de aula para fazer com que eles superem as dificuldades e aprendam o que não foi compreendido; trata-se de elaborar novas estratégias para proporcionar aos alunos a garantia do ensino aprendizagem.

REFERÊNCIAS:

HOFFMANN, Jussara Maria Lerch. Avaliação Mediadora: Uma Relação Dialógica na Construção do Conhecimento. Porto Alegre: Mediação, 2000.